SOBRE

O LABH reúne pesquisadores e estudantes em torno da investigação de problemas globais da contemporaneidade a partir de uma abordagem histórica de longa e longuíssima duração com ênfase na noção de Grande História. A proposta é fundada sobre o legado de um pensamento sistêmico e holístico que remonta às contribuições pioneiras de A. Von Humboldt e H. G. Wells, e mais recentemente, de F. Braudel, I. Wallerstein, W. McNeill, D. Christian e F. Spier, pretendendo assim oferecer um contraponto a um olhar atualista ou de curto prazo frequentemente manifesto nas ciências humanas e sociais. Desde a Revolução Industrial, a aceleração hiperbólica tanto das dimensões quanto da velocidade de operação das redes hierárquicas de conexão globais (de capitais, mercadorias, ideias, pessoas, patógenos, etc.) provocou uma inequívoca reconexão entre macro e microdimensões, dotando de forma inédita um organismo vivo (Homo sapiens) de capacidade de intervenção evolucionária e geológica. O reconhecimento do Antropoceno – a era em que a humanidade se torna o principal agente natural de transformação geológica e climática em escala planetária – enseja um reenquadramento ontológico a respeito da natureza do “humano” e de suas “sociedades”, bem como uma revisão epistemológica capaz de reler a ação humana no tempo e, principalmente, refundar nossa capacidade de formular cenários futuros. A proposta de trabalho do Laboratório de Big History pretende, assim, contribuir para uma reflexão pós-humanista acerca do futuro das sociedades em escala global, que considere o legado da trajetória humana em suas múltiplas temporalidades, da agência em curtíssimo prazo a longevos fenômenos ecológicos, evolucionários e cosmológicos. Nesse sentido, o LABH constitui, necessariamente, uma iniciativa transdisciplinar buscando superar o hiato entre as chamadas “duas culturas”, que aparta epistemologicamente, de um lado, as ciências naturais, e de outro, as Humanidades e as ciências sociais.

Big-History-Claims-Tester.png